sábado, 16 de julho de 2011

Harry Potter e as Relíquias da Morte parte 2 – Saudade Antecipada

harry8

Impossível ser imparcial depois de tantos anos.

Vimos o garoto crescer nas telas, acompanhamos cada aventura,cada riso, cada feitiço que este trio lançou na escola de magia mais famosa do cinema e da literatura.

E nos momentos finais sentimos a dor da perda… lamentamos não termos mais tempo para distinguir cada rosto na multidão, lamentamos pelos heróis tombados, pelo inimigo que luta movido pelo medo e por aquele que fez a escolha mais difícil…

Snape foi meu mártir no final. Imagino que se ele tivesse tomado Harry por  seu protegido desde o primeiro ano  nunca haveria o elemento surpresa na trama mas não posso deixar de lamentar o rumo que  a vida deste homem tomou.

Depois de 2 horas e 10 minutos tudo termina com uma ponta de nostalgia na plataforma  de embarque de King’s Cross.

Claro que houve adaptações, claro que o livro trazia mais detalhes, claro que tem gente que nunca leu realmente nenhum dos livros, enfim… haverá debates , extras de DVDs , relançamentos de edições definitivas a cada década provavelmente.

Harry Potter não se despede de verdade, ele renascerá em cada novo leitor que abrir um volume da série de livros, figurará na lista de programação de emissoras de TV que exibirão suas aventuras, nas tardes de sábado talvez, para uma nova geração de sonhadores. Será história e noticia nos aniversários vindouros,  quando veremos a reunião do elenco aos 25 anos, aos 30, 40….. Estamos dizendo até logo confiantes de que Harry continuará para sempre em nossas vidas.

Tchau, Harry !

2 comentários:

Cary disse...

Adorei o texto.

Nostalgia master no epílogo...e com certeza a maior tristeza além do Fred foi Snape, fico triste só de pensar.
Vai viver para sempre, mas que foi doloroso foi.

Caio Coletti disse...

... e ao mesmo tempo esse "até logo" tem sabor de "adeus", não tem? Não dá pra evitar, quando o filme acaba, esse sentimento de perda, essa mistura louca de tristeza, alegria, nostalgia e orgulho por ter ficado para ver até o final. É claro que o grande destaque desse último filme foi Alan Rickman, ele brilhou tanto, e revelou o personagem que vinha escondendo por trás de cada olhar duro e de desprezo ao qual os outros filmes o relegaram. Foi uma performance maravilhosa.

Mas Daniel está incrível também! E Emma e Rupert! E Ralph Fiennes, um vilão tão brilhante! A direção de David Yates é equilibrada, a fotografia é perfeita... Enfim. Que filme.

Abraços Bones! (:

BONES-CINEMA-TV
>