quarta-feira, 24 de março de 2010

os famosos e os duendes da morte.


Pré- estréia do ganhador do juri popular no ultimo festival do Rio em outubro.


Eu nunca havia ido a uma pré estreia de filme nacional. Não esperava nada na verdade, o último filme brasileiro de que gostei foi o Qu4trilho, e isso foi a muito tempo.


Sala lotada. E antes da exibição os discursos da Produtora e do Diretor do filme e ...a apresentação dos atores, que estavam lá!
Me chamem de ingenua pois eu não esperava.
O filme foi baseado no livro de Ismael Caneppele que faz um dos papeis principais;

Os famosos e os Duendes da Morte não parece ser brasileiro. ele já começa com um video caseiro postado no You tube.
O personagem principal vive numa cidade pequena no interior do Rio Grande do Sul, é internauta e parece preferir o mundo virtual ao real.
Nos minutos iniciais do filme fiquei na dúvida se a estória se passava só na cabeça dele....
as cenas são longas, sensiveis , os cortes bruscos, o desfoque casual.

Com poucos diálogos e muita música de Bob Dylan vamos conhecendo a situação atual desse lugar e dos habitantes, e principalmente a cabeça desse adolescente
que sonha em escapar da cidade.

Não espere cenas de ação.

Não tenho ceteza de ter entendido o título, já que não tem gente famosa na cidade e de duendes nem rastro... Alguma lenda do local???? uma metáfora???
algumas teorias surgiram entre as pessoas que estavam na sala, muitas dúvidas sobre tudo, uma vontade de ler o livro para saber se explica alguma coisa...
Eu acho que se trata de opções e escolhas.
Uma certeza: mexeu com a cabeça de todo mundo.

.

ficha:
Os Famosos e os Duendes da Morte
titulo original: (Os Famosos e os Duendes da Morte)

lançamento: 2010 (Brasil) (França)

direção: Esmir Filho

atores: Henrique Larré , Ismael Caneppele , Tuane Eggers , Samuel Reginatto , Áurea Baptista

duração: 95 min

gênero: Drama

curiosidade: a página do youtube que o personagem acessa existe mesmo. foi parte da promoção do filme.
http://www.youtube.com/user/JJingleJangle





uma nota pessoal : Nós que vemos blockbusters e acompanhamos as pre estreias de LA e London pela internet ou pela TV perdemos um pouco da emoção de confrontar personagens e atores.
Ontem, mesmo com o elenco "LIVE" não reconheci o personagem no ator. É como se o filme tivesse realidade própria e aquele garoto na tela so existisse ali, independente, num outro mundo.
É ainda a verdadeira MAGIA do cinema.



2 comentários:

Caio Coletti disse...

Sabe que estou começando a ficar extremamente curioso com esse filme? Vi uma matéria na PREVIEW, que é a revista que eu passei a comprar nesses tempos de inconstância/ausência da SET, e já me interessei pela forma como o diretor encara o seu cinema. É uma visão única e, ao mesmo tempo, tão fundamental que até se perdeu nos dias de hoje.

O filme parece mesmo ser daqueles lentos, com seu próprio ritmo, mezzo Europa, mezzo Oriente Médio, mas quem sabe o "sucesso" nessa comunidade virtual não faz os produtores se ligares que cinema pode ser tanto produto quanto arte.

Abraço! :D

Malu disse...

Adorei teu blog e tive as mesmas impressões e sensações que as tuas.
Fez-me reportar aos filmes franceses, logo em seu início... tem um clima francês... é uma descrição sensível e bem apurada do nosso ou dos nossos mundos interiores, dos flashes do cotidiano que passam despercebidos para tatos...
Um abraço. Voltarei mais vezes.

BONES-CINEMA-TV
>